Minhas poucas - e úteis - dicas parisienses

Como celebrei aqui, fiz uma visita atípica a Paris. Conheci mais as ruas que qualquer outra coisa. E sendo ainda uma cidade sobre a qual tem tanto conteúdo na internet, nem me animei a fazer um relato mais detalhado. Mas fiz algumas descobertas logísticas que podem facilitar a sua visita à cidade, e aqui vão elas.
* * *

HOP! 
A Hop! é a empresa low cost do grupo KLM Air France. Eu devo dizer que nunca tinha ouvido falar, mas quando fui procurar passagem e achei o preço bacana, mandei ver. Eu nunca tinha viajado numa low cost europeia, mas já li tanto sobre as restrições da Easy Jet e Ryanair, que no caminho do aeroporto olhei pra minha mala e senti um gelo na espinha. Eu estava viajando com uma mala de cabine normal, durinha, de rodinha, mas que pelo que já percebi, é possível que não entre na cabine dessas duas companhias. Mas olha... taí uma low cost super recomendada. Primeiro que minha malinha entrou lá sem grandes - ou nenhum, pra ser sincera - questionamento. O avião é bem pequeno, aquele esquema ônibus voador, a gente voa apertadinho e tals MAS eles tem um serviço de bordo. Ofereceram as opções de salgadinho chips ou biscoito doce, bebidas, e pasme: VINHO INCLUSIVE. Vocês tem noção? Viajar de low cost, pagar menos de 100 dinheiros numa passagem no horário de pico (indo sexta depois do expediente e voltando domingo a noite, comprada a menos de um mês da viagem) e ainda tomar vinho  francês gostoso de graça no avião? Pois é. E pra finalizar, eles voam pra Orly, que é o aeroporto mais central de Paris - e por isso você vai gastar menos pra sair de lá, como explico abaixo.

Saindo do aeroporto
Nós chegamos em Orly, que é mais centralizado que o Charles de Gaule. E foi pesquisando como sair de lá que eu fiz uma descoberta: os taxis saindo dos dois aeroportos agora tem preço fixo. De Orly, 30 euros para um dos lados do Sena (rive gauche), e 35 para o outro (rive droite). Do Charles de Gaule, 50 e 55, respectivamente. Assim, vale a pena fazer a conta e ver se pegar um taxi não compensa. A gente gastaria 12 euros cada um para ir de transporte público. Sairia 24. Compensou pagar 3 euros a mais por pessoa e estar na cidade em 20 minutos, sem stress, sem ter que pensar muito. O preço fixo é uma iniciativa recente (desde março) da prefeitura de Paris, que viu o turismo minguar depois dos ataques terroristas de 2015. Com ela pretendem facilitar e baratear a visita do turista. Eu achei uma ótima ideia, apesar da tristeza do motivo pelo qual ela nasceu.

Na volta, como eu estava sozinha, achei que não compensava pegar o taxi. Mas então peguei um Direct Bus saindo da Gare de Montparnasse. Custa 12 euros e vai direto até Orly, chegou lá em meia hora. É mais uma possibilidade rápida e tranquila de chegar. Não sei vocês, mas eu as vezes me agonio de chegar numa cidade e ficar toda perdidona no transporte público. As vezes você só quer chegar, né? Então são duas possibilidades. Tem direct bus de/para o Charles de Gaule também. 

AirBnb em Grenelle
Nós ficamos nesse bairro que é puro charme no 15o arrondissement. Fomos em 7 pessoas, sendo 3 casais e uma amiga solteira. A princípio procuramos no AirBnb algo que acomodasse todo mundo junto e estava caro. Então Mati começou a fuçar e percebeu que nesse bairro havia muitas ofertas em conta para 2, 3 pessoas. Acabamos alugando coisas separadas - 4 apartamentos no total - mas todos no bairro. Todo mundo ficou em lugares bons, todos com preços justos, todo mundo num raio de 5 minutos. O bairro é muito bom, pertinho da Torre Eiffel, com muitos metrôs, muitos restaurantes e cafés charmosos, uma delícia. Eu fiquei duas noites com Mati num excelente AirBnb. Pequenino mas bem aconchegante, com uma sala/quarto, um banheiro bom, uma cozinha tranquila, super suficiente pra um casal. Tinha uma coisa que nunca tinha visto antes: o modem que dava wifi era pequeno, do tamanho de um celular, e portátil. Andamos com ele no bolso por Paris inteira, e assim tivemos internet durante toda nossa viagem, podendo checar que bares ou restaurante ir. Mas o melhor? Imaginem eu chegando em Paris, primeira vez na vida, olhando pra janela e:

Pois é, que vista!
Aqui o sofá que vira uma cama de casal bem grande e confortável
Pagamos em torno de 65 euros a noite. Se você for dividir por pessoa, é quase mais barato que hostel, e com o conforto e privacidade de um espaço só pra nós. E a vista, já falei?

No domingo a noite Mati e alguns amigos foram embora porque alguém tem que trabalhar, mas eu e dois amigos de férias ficamos. Então eu me mudei pro apartamento deles, a duas quadras do nosso. Outra belezinha. Super grande, espaçoso, bonitinho, quarto bom, banheiro bom, cozinhona, varandona. Dormi no sofá, que era grandão, largo, e foi ótimo. Tinha inclusive blackout automático na janela e eu nem sabia quando era dia ou noite. O preço desse foi um pouco mais salgadinho, em torno de 100 euros a noite. Mas se você pensar que dá pra dividir em 3, por exemplo, é uma ótima pedida. 

Agora o melhor? Eu achei Grenelle uma área "francesa". Você vê pouco turista, mas muuitos parisienses vivendo a vida. Muitas padarias, açougues, vendinhas, e aquelas pessoas finas circulando e tocando seu dia a dia, passeando com o cachorro e levando as crianças pra escola. Como observar locais é uma das coisas que eu mais gosto de fazer em viagens, ficar por ali foi um prato cheio. 

Enfim, achei a região ótima, estávamos servidos por 4 linhas de metrô, chegávamos rápido em todo canto, e a oferta de AirBnb era altíssima a preços justos. Vale muito a pena! 
*esses preços são para novembro. Sei que no verão as coisas ficam mais caras

Esses pequenos detalhes me fizeram gostar demais dos meus dias por lá. Espero que ajude alguém a aproveitar Paris também!

26 comentários:

  1. Nossa, quantas dicas boas, Gabi. Paris foi a minha primeira viagem "grande" desde que vim pra Irlanda e a minha primeira com o R., então sempre será especial, mas nos decepcionamos com algumas coisas como restaurantes (não demos sorte) e o transporte do aeroporto pra cidade. Primeiro que o aeroporto era mega longe, uma bagunça, a volta foi tão estressante! Nunca tinha ouvido falar nessa Hop e nossa, você pagou um preço excelente pra viajar no fim de semana! <3 Quero muito voltar à Paris um dia, dar uma segunda chance, mas dessa vez, quero saber exatamente onde comer, onde ir, pra aproveitar mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, eu tinha esquecido de um detalhe e até editei o post: a gente tinha wifi móvel no airbnb, e por isso facilitou MUITO encontrar os lugares certos. Comemos muito bem todos os dias. Volta sim (e de lá já pega um trem, pans, vem aqui hahaha). Beijos!

      Excluir
  2. Não conhecia essa hop!. Bom saber pq com minha cadeira de rodas o esquema é sempre mais complicado. Super confio na KLM então acho, espero que essa hop! seja no mesmo nível.
    E poxa, que vista chata, viu hehe. Esses prédios de Paris são um encanto.
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como é uma empresa low cost, mesmo sendo do grupo, vai estar num nível abaixo. Mas acredito que eles são sim bem preparados para qualquer situação, foi o que me pareceu.
      E sim.. a vista <3
      Bjo Paulinha!

      Excluir
  3. Tenho mesmo de dar uma segunda chance a Paris! Quando fui tinha 15 anos e não gostei nada da cidades nem das pessoas. O que valeu foi irmos à Disneyland que amei! Acho que como sempre ouvimos maravilhas da cidade fiquei com expectativas demasiado altas e quando vi os Champs Elysee ou a Torre Eiffel fiquei tipo "Ah, é isto?"

    Vocês ficaram num AirBnB fabuloso! Essa é a minha parte favorita, quando nos alojamos num bairro onde não hajam tantos turistas mas sim locais, observar como vivem, o que fazem e comem. E perdemo-nos por essas ruas fora :)

    Viver a Viajar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, expectativas podem tirar todo o brilho de uma viagem hehe. Mas vale sim dar uma segunda chance, acho que você pode gostar muito mais. Agora os parisienses, muita gente diz mesmo que não gosta de Paris por causa deles. Eu devo ter dado sorte, achei todo mundo simpático. Obrigada pela visita :)

      Excluir
  4. Obrigado pelas dicas Gabi, tenho planejado uma visita a cidade luz para no ano que vem, e tava em duvida sobre qual bairro ficar usando o AirBnb (ja que e mais em conta que hotel e oferece mais privacidade tambem). Tava pensando em visitar Dublin ou Amsterda usando uma low budge company, vou tentar O HOP, pois a KLM ja ouvi cada historia de terror que da medo..rsrs. So nao sei onde vou deixar minha mala em Paris enquanto bato perna em outro pais, mas tenho certeza que existem opcoes. Enfim adorei a vista da sua janela, quero uma igual...rsrsrs, e acho que gostamos das mesmas coisas, eu adoro ir onde locals vao e onde eles comem, fazer coisas de turista e legal, mas e mais legal se misturar com os moradores da area...rsrs.
    Beijinhos
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Monique, já que você falou de Amsterdam, sugiro que você olhe no site da TVG se não vale a pena ir de trem. São 3h, sendo que você sai do centro de Paris e chega no centro de Amsterdam. Como o trem não demanda muita antecedência, etc, você acaba perdendo menos tempo (principalmente se tiver que ir até o Charles de Gaule, que só a viagem é 1h), ainda contando com chegar pelo menos 1h antes, etc. E nas estações de trem tem lockers de diversos tamanhos, acho que você consegue deixar sua mala lá. Que bom que te dei umas dicas. E sim, acho que gostamos das mesmas coisas hehe. Beijo!

      Excluir
  5. Gabi, que dicas maravilhosas! Paris tá longe dos meus planos de viagens, mas a gente nunca sabe.. ou quando resolver ir pra lá, vou conferir esse teu post tudo de novo. Nunca tinha ouvido falar dessa HOP e pegar um preço assim com vinho de gratis ainda? Que sucesso! hahaha
    A acomodação de vocês também adorei, olha que vista linda.. e ainda poder curtir um pouquinho de como é a vida dos locais, combo perfeito, né?
    Adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, eu tinha muita vontade de conhecer a cidade menos pelos pontos turísticos e mais pelo charme, sabe? Acho que Meia noite em Paris e Amelie deram um bust na minha vontade de conhecer a cidade. Acho que o dia que você for você vai gostar :) Beijos!

      Excluir
  6. Arrasou nas dicas Gabi! São Paulo podia copiar esse esquema do taxi com preço fixo em Guarulhos ein? Até o Uber vindo de lá é caro.. só ônibus mesmo que acaba compensando! E essa HOP, serviço de bordo melhor que muita empresa que não é low cost :O haha

    beijo :**

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, melhor que a Gol, sem dúvidas hahaha! E sim, sair de Guarulhos é CARO. O que eu faço, quando não tenho pressa nem mala grande, é pegar aquele onibus que vai até o Tatuapé, e de lá pego o metrô. O preço total sai R$8.

      Excluir
  7. Dicas valiosíssimas! Sua hospedagem deve ter sido maravilhosa, que vista privilegiada! Amei <3
    Beijos.
    Paula Abud
    http://www.roteirando.com

    ResponderExcluir
  8. A parte mais divertida de ficar em lugares diferentes do que o que normalmente é escolhido por turistas é que você vê os gringos no habitar natural ahsuihauishuahs Em Amsterdam, ficamos em um bairro uns 15km distânte do centro então todo dia pegavamos as bikes, atravessavamos balsa pra ir pro centro. E era divertido ver como eles agiam nos dias normais, pegando balsa pra ir trabalhar e coisas do tipo.
    A Bela, não a Fera | Youtube A Bela, não a Fera | Fã Page no Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, observar locais é uma das melhores coisas, e realmente, se hospedar fora da muvuca turística facilita o people watching. Mas isso também rola bem porque essas cidades tem o transporte eficiente. Quando você ta em SP, por exemplo, ou Rio, o melhor mesmo é ficar na área mais turistona porque o transporte não ajuda. Bjo!

      Excluir
  9. Cai nessa pegadinha da mala pela Ryanair, pensei que a mala passaria, mas não foi, sendo assim tive que pagar 50 euros pra despachar, já viajei por várias low costs e gostei muito da vueling que é da Iberia, sempre que vou a Paris prefiro ir de trem, pois às vezes sai bem em conta, da última vez paguei 15 libras, sem contar que desce direto no centro de Paris.
    E que barato esse apê, sai muito mais em conta do que hostel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fiz minha primeira viagem com a EasyJet semana passada e não tive coragem de levar a mala, acabei viajando só de mochila porque tive medo de ter que despachar e pagar mais na mala do que na passagem. As vezes acontece. Aqui o trem pra Paris não sai mais barato, só se comprar com MUITA antecedência, tipo 3, 4 meses!

      Excluir
  10. Poucas dicas, mas bastante úteis! Principalmente do bairro :) Acho muito mais legal quando me hospedo em bairros menos turísticos e posso aproveitar um pouco do cotidiano do lugar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu também. E o melhor é que ele está super perto da Torre, ou seja, é super bem localizado!

      Excluir
  11. Gabi, que post mais legal! Não sabia dessa companhia aérea e fiquei totalmente apaixonada pela vista do seu airbnb! Nunca tinha me interessado em viajar e alugar um apartamento antes, mas essa vista aí me ganhou total, hahaah!

    Um beijo! ♥
    www.daniquedisse.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente aqui usa muito o AriBnb. Vale super a pena, porque é normalmente é mais confortável que hostel, e mais barato que hotel. Da pra escolher exatamente onde você quer ficar, tem pra vários bolsos (tudo depende do tamanho do apartamento, etc) e você pode encontrar algumas facilidades. Já ficamos em AriBnb que oferecia bicicletas, com hosts queridos que deixaram vinho e café, etc. Eu super recomendo!

      Excluir
  12. Um dia vou conhecer Paris (espero que ano que vem hehe). E valeu por essa dica de estádia, também gosto de lugares dos quais posso me sentir como uma local rs, sem aquele monte de turistas por toda parte. E legal saber sobre a HOP, não o conhecia.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Hop! foi uma ótima surpresa. Super recomendo! Espero que você conheça Paris logo e depois conte a sua experiência. Bjo!

      Excluir
  13. Que delícia adoro a França morei lá 1 ano mas só fiquei em Paris e perdi a oportunidade de visitar outros locais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adorei Paris, e agora morando perto quero poder explorar mais o país! Obrigada pela visita :)

      Excluir

Follow @ Instagram

Back to Top